Brasília é pioneira em técnica que permite reconstrução mamária de mulheres vítimas do câncer de mama.

Aos portadores de câncer avançado, situação ainda tão comum no Brasil, só restavam as grandes amputações, com ingratas cicatrizes residuais e um tórax aplainado. Neste enorme desafio técnico, Brasília foi pioneira: em 1974 já fizemos as primeiras cirurgias do país de esvaziamento da glândula mamária substituindo por silicone, a cirurgia hoje conhecida como “cirurgia da Angelina Jolie”, ou skin sparing, primeiramente no Hospital das Forças Armadas e desenvolvida depois no Hospital Daher. Fizemos no HFA naquela época os primeiros protocolos de cirurgia preventiva do câncer de mama em pacientes de alto risco.

Em 4 de janeiro de 1980, reproduzi aqui a cirurgia que traz a pele do dorso para a parede anterior do tórax, conhecida como técnica de Bostwick. Em 1983, Brasília foi novamente pioneira no país ao reproduzir, pela primeira vez no Brasil, a técnica do americano Hartrampf, que levava tecido do baixo ventre aos moldes de uma abdominoplastia e os fazia chegar à parede anterior do tórax. Demonstramos essa técnica em sete estados brasileiros e em dezenas de simpósios e congressos. Brasília iniciou a disseminação deste fantástico procedimento . Em 1992 apresentamos nossa técnica original dos “retalhos em ilha das mamas”, que publiquei nos Estados Unidos e permitia-nos reconstruir as amputações mamárias parciais nas quadrantectomias. Nós, que só conhecíamos as reconstruções totais, aprendemos a fazer as parciais, hoje usadas em todo o mundo. Dificuldades técnicas superadas, deparo-me ainda com intermináveis filas de mulheres aguardando anos para tratamento. Em certos planos de saúde, cria-se ainda muitas dificuldades para a autorização das cirurgias que, pela grandeza social, deveriam ser estimuladas e ser a bandeira social dos planos de saúde. Esta cidade pioneira, moradia do poder, bem que poderia acordar sem filas e burocracia, diminuindo amputações e sofrimentos. Aí, então, Brasília, que para mim é rosa há 47 anos, ficará definitivamente rosa para todos e para o mundo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *