Este é um termo, talvez pouco adequado para o tratamento da “bola célulo-adiposa de Bichat”.

Entretanto este tratamento que popularizou-se como “bichectomia”, refere-se a procedimento cirúrgico em que se retira total ou parcialmente o tecido gorduroso profundo que existe nas bochechas e que foi descrito pelo anatomista Bichat. Tem como propósito, fazer o afundamento desta região, as bochechas, transformando as faces muito redondas em faces mais estreitas, mais encovadas nas laterais, levando mesmo a a um aspecto mais ‘’triangular’’ do rosto. Serve para descaracterizar as faces redondas, ditas “em lua cheia’’.

Um dos símbolos atuais da beleza de rosto feminino e o da atriz Angelina Jolie, tão conhecido pela sua intensa exposição na mídia. Apreciada quer seja pelos seu lábios grossos e carnudos, (o que se consegue hoje de maneira segura com os enxertos de gordura), quer seja pelo seu rosto com as maçãs salientes e bochechas encovadas, este último efeito conseguido pelo tratamento das bolas célulo-adiposas de Bichat.

Este procedimento cirúrgico, embora exija profundo e sofisticado conhecimento da anatomia da face, daí ser um campo exclusivo de ação dos cirurgiões plásticos, é muito pouco invasivo e interfere pouquíssimo no corpo do paciente, por ser de ação restrita a pequena área, sem perdas sanguíneas e praticamente sem complicações, desde que executado com maestria.

Pratica-se esta cirurgia por incisão de aproximadamente um cm. dentro da boca, junto e posterior à arcada dentária superior, e por este acessos o cirurgião identifica e extrai o tecido gorduroso. É um ato operatório de curta duração (alguns minutos), excluído o ritual de preparo e assepsia do rosto do paciente.

Não se trata de procedimento em que o cirurgião possa antever o resultado final, pois ele está limitado à quantidade de gordura alí existente. Se ela for abundante, conseguir-se-á um encovamento maior. Se não, conseguir-se-á sempre um encovamento, mas talvez menor do que aquele que o paciente sonhou.

Quando se quer complementar este resultado, pode-se lançar mão da associação da lipoescultura facial, nos moldes do trabalho que publicamos em 1988 (The importance of redefining facial contours throug the liposculpture) demonstrando a ‘’importância de se redefinir os contornos faciais através da lipoescultura’’, procedimento que praticamos de rotina desde 1985. Mas esta complementação, se necessária, só deverá ser indicada em um segundo tempo, de forma complementar após ter-se verificado o resultado definitivo da “bichectomia’’ praticada, o que se verifica de 60 a 90 dias após o ato operatório.

O pós operatório é simples, não é doloroso e requer apenas uma higiene bucal adequada, com dieta pastosa nos primeiros quatro dias e após, dieta normal.

Este procedimento já muito praticado a muitos anos associado às cirurgias de rejuvenescimento facial pelo lado externo das bochechas, popularizou-se recentemente pela praticidade do acesso endo bucal pelos custos menores e aplicabilidade em pacientes jovens, frequentemente insatisfeitas com o contorno muito redondo de seus rostos.