Este é um capitulo muito especial da lipoaspiração, que já abordamos parcialmente quando falamos da plástica face, pois veio valorizar enormemente os tratamentos de rejuvenescimento .

Explico melhor: a tradicional plástica facial, consistia basicamente na tração dos tecidos e retirada dos excessos de pele. Esta técnica tem sido grandemente melhorada nos últimos tempos por tratamento da musculatura profunda etc., mas sempre seguida de uma tração da pele que ficará mais esticada, com menos rugas, revestindo os tecidos profundos.

20161024112247047_0001

Daher em 1988 descreveu as 6 regiões da face que fazem acúmulos atípicos de gordura.

20161024112323607_0001

Sistematizou a lipoaspiração delicada destas áreas, e o enxerto de gordura das regiões que vão murchando, como a região malar e os lábios.

Acontece que os tecidos profundos, o conteúdo (chamaremos os tecidos profundos de “conteúdo” e a pele que o recobre, de “continente”), se modificam no decorrer dos anos, com um acumulo de gordura em regiões especificas, dando ao rosto um contorno próprio da velhice. Estas regiões são o sub-mento (3) onde se instala a indesejável “papada”, as bordas laterais da mandíbula (2), onde se criam aquelas bolsas que lembram as bochechas do bull-dog (1), as rugas naso-genianas (4 e 5), conhecidas como “bigode chinês”, a região pré-auricular (6), etc.

Paralelamente existe um esvaziamento de outras regiões como as maçãs do rosto, a reborda das pálpebras inferiores e uma sensação generalizada de q a face “murcha” com a idade.

Ora, se tracionamos a pele que é o envoltório externo da face, o “continente”, sem trabalhar o conteúdo, teremos uma pele mais jovem, com menos rugas, e um contorno de face envelhecido. É por isto que existe aquele rosto estigmatizado de “face operada”, que deve ser evitado pelos cirurgiões plásticos.

Aí, entra a lipoaspiração da face que, praticada com uma cânula bem delicada. Quando associada à plástica facial, deve ser realizada logo no inicio da cirurgia, nos permitindo trabalhar os acúmulos de gordura em lugares indesejáveis (o duplo mento, a bolsas do bull-dog, o “bigode chinês”), resgatando e redefinindo um contorno jovem da face.

Da mesma forma que existe acúmulos de gordura localizada na face com padrões próprios do envelhecimento, existem áreas que a idade torna “vazias”. É o caso das maçãs do rosto, das pálpebras inferiores onde a gordura se afasta da borda óssea da órbita, produzindo os olhos fundos e com ‘’olheiras’’, as rugas em volta da boca e nos lábios propriamente dito que ficam finos demais.

Assim como retiramos a gordura excessiva e mal distribuída, temos hoje plena consciência de que esta recomposição dos contornos e volumes passa obrigatoriamente pelos enxertos de gordura na face. Para tal, desenvolvemos técnicas para a coleta da gordura, sua preparação e sua injeção.

A gordura enxertada na face é absorvida em parte, em percentuais que variam de indivíduo para indivíduo. Nossos trabalhos recentes demonstram que cerca de 43% da gordura injetada permanecem. Daí ter-se em mente uma programação para enxertos sucessivos, com intervalos de 6 a 9 meses, ou ainda maiores, para que com efeitos cumulativos o paciente tenha resultados mais duradouros.

Além de preencher certas rugas (bigode chinês, rugas dos cantos da boca, etc.), a injeção com hipercorreção dos lábios é muito boa, pois devolve um vigor geral aos tecidos da região, bem como melhora a qualidade daquela pele. Aliás. Às vezes enxertamos gordura sob toda a pele da face, o que chamamos de enxerto de gordura pan-facial, para termos efeitos benéfico na textura da pele.

A LIPOESCULTURA DA FACE SEM A PLÁSTICA FACIAL.

Existem pacientes que têm contornos de uma face envelhecida em bora não tenham idade para tal. Por exemplo as pessoas jovens ou de meia idade que apresentam duplo mento (papada) ou ainda as bolsas da gravidade (as bolinhas de gordura na borda da mandíbula), ao lado do mento como as papadas do “buldog”. Estes casos podem ser tratados com a lipoescultura facial isolada da plástica facial, desde que s pele apresente turgor e alguma capacidade de retração. Entretanto o paciente deve entender que caso não haja a retração de pele esperada, pode haver um aumento da flacidez em troca da retirada dos volumes indesejáveis. Indico muito este tratamento em pacientes muito jovens com rosto gordo e arredondado e em alguns pacientes ‘’border line’’ de jovens para meia idade.

A lipoescultura da face, sem dúvida, revolucionou e conferiu grandes progressos ao tratamento do rejuvenescimento facial, modificando a  plástica tradicional da face, tornando-a menos invasiva e muito mais eficiente e natural.