Estudo traça perfil de mulheres brasileiras com risco de desenvolver osteoporose

Um estudo conseguiu mapear o perfil de mulheres brasileiras com risco de desenvolver osteoporose. Para isso, pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisa e Estudo de Diagnóstico por Imagem (FIDI), analisaram 8 mil exames de densitometria óssea em pacientes durante 3 anos. A pesquisa elegeu como principais fatores de risco para surgimento da doença o baixo peso, a idade avançada, cor, histórico familiar de fratura de fêmur, tabagismo, alcoolismo e uso crônico de cortisona. Levantamento também revelou que 30% das mulheres examinadas tinham osteoporose, enquanto 20% estavam a um passo da doença, ao apresentar osteopenia Entre os países com maior índice de desenvolvimento social e econômico da América Latina, o Brasil era o único que ainda não contava com uma ferramenta capaz de identificar com precisão pessoas com maior risco de apresentar osteoporose e osteopenia. Para chegar aos resultados, uma equipe de médicos que atua na disciplina de Reumatologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo desenvolveram o Sapori, que consiste basicamente em uma espécie de software matemático, cujo funcionamento é muito simples: primeiro o programa recolhe informações de mulheres na pré, peri e pós-menopausa e depois calcula, automaticamente, qual delas têm maior predisposição a desenvolver doenças relacionadas à baixa densidade óssea. " O SAPORI coleta informações como idade avançada, baixo peso, cor da pele, altura, hábitos alimentares, doenças associadas, ingestão de medicamentos, tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas. Para cada um desses fatores clínicos de risco é atribuído um peso de relevância, baseado em nossa população de mulheres. A partir desses dados, o sistema calcula um escore final que indica se a pessoa pertence ou não a um grupo de risco e se tem indicação de realizar o exame densitometria óssea" , explica a reumatologista Vera Szejnfeld, médica responsável pela Central de Laudos da FIDI.

Fonte: Isaúde – 20/08/12

 

]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Fumar durante a gravidez aumenta o risco de asma nos filhos
Próximo post
Estrabismo não tratado pode causar perda irreversível da visão

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

    Menu

    Olá! Nosso site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Para saber como alterar as configurações de cookies do seu navegador, clique aqui.

    Se continuar navegando, entenderemos que você concorda com nossos termos de uso, política de privacidade e política de cookies.

    Abaixo, você pode escolher que tipo de cookies você permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

    FuncionaisNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.Ao continuar navegando, entenderemos que você concorda com nossos termos de uso, política de privacidade e política de cookies.

    AnalíticosNosso site utiliza cookies analíticos para possibilitar a análise e otimização para fins de usabilidade.

    Mídias sociaisNosso site coloca cookies de mídias sociais para mostrar a você conteúdo de terceiros, como YouTube e FaceBook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

    PropagandaNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

    OutrosNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços que não são analíticos, de mídias sociais ou de publicidade.