Pressão no trabalho pode aumentar risco de ataque cardíaco

Ter um trabalho estressante pode aumentar o risco de um ataque cardíaco em um quarto, alertam os pesquisadores. Segundo eles, os trabalhadores que se sentem mais pressionados estão mais em perigo do que colegas que sofrem menos estresse. As informações foram publicadas no Daily Mail. A grande pesquisa sobre saúde do coração foi feita trabalhadores de várias áreas, dos funcionários públicos aos trabalhadores de fábrica. "Nossas descobertas indicam que a tensão no trabalho está associado a um risco pequeno, mas consistente risco ter uma primeira doença coronariana, como um ataque cardíaco", disse Mika Kivimaki, que liderou a pesquisa da University College London. Uma pesquisa anterior sugeriu o estresse no trabalho pode desencadear problemas cardíacos, mas não houve resultados conflitantes. A investigação da UCL agrupou os resultados de 13 estudos no Reino Unido, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Holanda e Suécia, entre 1985 e 2006. Todos os homens e mulheres que participam responderam a questionários sobre seus empregos, carga de trabalho, prazos e liberdade para tomar decisões. Nenhum deles tinha sofrido um ataque cardíaco antes de fornecer os detalhes, disse um relatório da revista médica The Lancet. Os pesquisadores definiram como um trabalho estressante aquele que envolve um elevado volume de trabalho juntamente de pouca liberdade para tomar decisões. Durante um período de acompanhamento médio de 7,5 anos, os pesquisadores registraram 2.356 casos de doenças do coração. Estes incluíram as internações devido a ataques cardíacos e mortes por insuficiência coronariana. Os cientistas descobriram que aqueles que têm empregos estressantes são 23% mais chances de passarem por isso. O maior risco relatado para as pessoas em trabalhos estressantes permaneceu depois de levar em conta fatores como estilo de vida, idade, sexo e classe socioeconômica. Um dos pesquisadores disse que o estresse no trabalho pode ser responsável por uma "parcela relevante" de problemas cardíacos na população. Ele ressaltou que a redução do estresse teria um impacto muito menor do que a falta de exercício físico ou de fumar, que teve um efeito negativo dez vezes maior.

Fonte: Terra, 15 de setembro de 2012

 

]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Fumantes dormem menos e têm mais distúrbios do sono, diz estudo
Próximo post
Horário de se alimentar é determinante na hora de perder peso

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu