Consumo moderado de álcool aumenta risco de arritmia cardíaca em diabéticos

O consumo moderado de álcool pode aumentar o risco de fibrilação atrial entre pessoas com doença cardíaca e diabetes progressiva, de acordo com estudo da Universidade McMaster, no Canadá. Os resultados mostram que pessoas mais velhas com doença cardiovascular ou diabetes que consumiam bebidas alcoólicas regularmente eram mais propensas a experimentar arritmia cardíaca. A equipe, liderada por Koon Teo avaliou mais de 30 mil pessoas com histórico de doença cardiovascular ou diabetes avançada. Todos os pacientes tinham 55 anos ou mais, eram de 40 países diferentes e foram analisados entre 2001 e 2004. A idade média dos indivíduos envolvidos foi de 66,4 anos, e 9.064 eram mulheres (29,8%). De todas as pessoas no estudo, 61,7% relataram tomar até um drinque por semana, o que é considerado baixo consumo. Além disso, 36,6% dos voluntários relataram o consumo moderado, enquanto que 1,7% relatou consumo elevado (mais de dois drinques por dia para as mulheres, e mais de três para os homens). Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o consumo moderado de álcool para as mulheres é de até dois drinques por dia, e para homens, até três. Consumo exagerado é definido como cinco drinques por dia. O período de acompanhamento mostrou a incidência de 2.093 novos casos de fibrilação atrial. Desses, 14,5% ocorreram em indivíduos de baixo consumo de álcool; 17,3% entre aqueles que consumiam bebidas moderadamente e 20,8% no grupo de alto consumo. De acordo com os pesquisadores, como o consumo de quantidades moderadas de álcool era mais comum em nosso estudo (36,6% dos participantes), os nossos resultados sugerem que esse consumo aumentou o risco de fibrilação atrial em pacientes com doença cardiovascular ou diabetes. A equipe acredita que o estudo possa levar a novas recomendações sobre os efeitos do consumo moderado de álcool para pessoas com as doenças. Fonte: Isaúde, 02 de setembro de 2012

]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Cansaço, genética, formação óssea e alergia podem ser causas de olheiras
Próximo post
Veja como combinar alimentos para extrair maiores benefícios à saúde

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu