Higiene íntima feminina: como fazer

2geeybhuj7ucfye3f01noey58Higiene íntima feminina é um assunto delicado, mas sério. Nem todas as mulheres, porém, sabem como fazer isso corretamente. Há dúvidas sobre qual tipo de sabonete usar, como secar a região e até sobre se, na hora de dormir, deve-se deixar de lado a calcinha ou não. Além de reduzir a ocorrência de odores desagradáveis, a higiene íntima adequada previne corrimentos, lesões vaginais e na vulva, além de doenças mais graves. Deixando a vergonha de lado, a mulher deve sim, buscar informações sobre como fazer a própria higiene íntima. E deve passar isso adiante, ensinando às próprias filhas como fazê-lo. Pensando nisso, a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) elaborou um guia de condutas sobre a higiene íntima das mulheres, preparado após a revisão de cerca de 120 artigos científicos. Segundo a entidade, o ginecologista é sempre a melhor pessoa para responder a qualquer dúvida sobre esta questão. A ginecologista Rosa Maria Neme, do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, ensina: a mulher deve, no banho, aplicar uma quantidade pequena de sabonete íntimo na vulva, esfregar bem e depois enxaguar bastante. Para secar a região, basta usar uma toalha comum, seca e limpa. “Se possível, é recomendável secar os pelos pubianos com secador de cabelos. Isso diminui a umidade na base do pelo”, recomenda a ginecologista. Novidade dos últimos anos, os sabonetes íntimos geram dúvidas sobre qual tipo é o melhor e se devem realmente ser utilizados. Rosa Maria explica que, sim, o sabonete íntimo é indicado. Ele tem em sua formulação o ácido lático, que melhora o pH vaginal, fazendo com que a vagina se torne um ambiente inóspito para bactérias e outros agentes prejudiciais à saúde. Mas limpeza deve vir acompanhada de outros cuidados. Roupas apertadas aumentam o calor e a umidade no local, o que pode favorecer ocorrências de infecções vaginais ocasionadas por fungos e bactérias. Uma das consequências é a candidíase, doença causada pelo fungo Candida albicans. A ginecologista Viviane Monteiro indica as melhores roupas para evitar doenças: “O ideal é usar roupas mais largas, preferir calcinhas de algodão e evitar roupas sintéticas e roupas de ginástica fora do período de atividade física”. Dormir sem calcinha é outra atitude que ajuda a evitar problemas na região, diz a especialista. Os cuidados com a região íntima feminina valem também para as idosas. Nesse momento, é ainda mais indicado procurar a ajuda de um médico para receber orientações. “As recomendações para idosas são as mesmas, mas elas precisam de uma avaliação e orientação individualizada, pois a mudança do PH vaginal pode influenciar no aparecimento de infecções oportunistas na terceira idade”, diz Viviane. Veja as dicas do Guia de Condutas sobre Higiene Íntima Feminina da Febrasgo: – Ao escolher o sabonete íntimo, prefira os hipoalergênicos. Eles são mais apropriados para a higiene íntima, porque foram testados para essa finalidade, reduzindo a chance de alergias – Sempre seque bem a região após o banho. Isso evita a proliferação de bactérias, fungos e vírus – Use roupa íntima de algodão. Elas favorecem a ventilação da área – Durante o período menstrual, faça a higiene do local com mais frequência – Após lavar, enxague bem as roupas íntimas para retirar os resíduos químicos do sabão em pó e do amaciante – Durma sem calcinha ou use roupas largas para dormir. Isso aumenta a ventilação da região genital Fonte: Saúde/IG, 22 de janeiro de 2013]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Paralisia do sono: o que é, como tratar
Próximo post
Você é vítima de estafa mental?

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu