Narguilé causa maior exposição a substâncias tóxicas do que cigarro

volume-de-tragadas-do-narguile-pode-chegPessoas que fumam narguilé tem maior exposição a substâncias tóxicas que podem causar câncer e doença cardíaca. É o que indica estudo de pesquisadores da University of California, San Francisco, nos EUA. A pesquisa mostra que o tabaco fumado com narguilé e com cigarro mostraram padrões diferentes de exposição a substâncias tóxicas do tabaco. Segundo os pesquisadores, o narguilé levou à exposição a agentes que podem causar doenças cardiovasculares e leucemia. “Fumar narguilé em bares se tornou popular entre os jovens nos Estados Unidos, e alguns acreditam que ele é menos prejudicial do que o cigarro. Nós mostramos, pela primeira vez, que as exposições tóxicas do narguilé diferem do padrão do cigarro, com maior exposição a algumas substâncias tóxicas, como monóxido de carbono e benzeno, em fumantes de narguilé”, afirma o pesquisador Peyton Jacob III. Para comparar os níveis de exposição a várias substâncias tóxicas do tabaco, Jacob e seus colegas conduziram um estudo aleatório com 13 voluntários saudáveis, oito homens e cinco mulheres. Todos tinham experiência em fumar cigarros e narguilé. Como diferentes indivíduos excretam quantidades diferentes de produtos químicos tóxicos, mesmo que inalem as mesmas quantidades, a forma mais simples para comparar a exposição foi realizar um estudo “cross-over”, onde a mesma pessoa fumou cigarros e narguilé em dias diferentes. Os voluntários ou fumavam cigarro ou narguilé exclusivamente durante o dia, durante quatro dias. Depois de uma semana ou mais, cada indivíduo foi readmitido no hospital e passou a fumar o outro produto nos quatro dias seguintes. Em média, os voluntários fumaram três sessões com narguilé ou 11 cigarros por dia. Os investigadores recolheram amostras de sangue e urina antes, durante e no final de cada tipo de sessão de fumo. Os pesquisadores descobriram que o fumo de narguilé resultou em cerca de metade da quantidade de nicotina total medida no sangue durante um período de 24 horas em relação ao tabagismo. No entanto, a exposição à nicotina, ainda que em níveis mais baixos, pode sustentar o vício, de acordo com Jacob. Por outro lado, os pesquisadores descobriram que enquanto as pessoas fumavam narguilé, a quantidade total de monóxido de carbono no hálito medido durante um período de 24 horas foi mais de 2,5 vezes maior do que quando as pessoas fumavam cigarros. Jacob explicou que a exposição elevada ao monóxido de carbono aumenta o risco de eventos agudos, como ataque cardíaco, acidente vascular cerebral ou morte súbita em pessoas que têm doenças cardiovasculares ou pulmonares. Além disso, os dados indicaram que a exposição ao benzeno, um composto orgânico volátil, era consideravelmente superior com o narguilé. Os investigadores detectaram o dobro da quantidade de um metabolito de benzeno na urina dos fumantes de narguilé em comparação com os fumantes de cigarro. Segundo Jacob, a exposição ao benzeno é uma preocupação porque ele é conhecido por causar leucemia nos seres humanos. “As pessoas querem saber se é um risco para a saúde menor se mudar de cigarros para narguilé em uma base diária. Nós descobrimos que fumar narguilé não é uma alternativa segura ao cigarro, nem é provável que seja uma estratégia eficaz de redução de danos”, conclui Jacob. Fonte: R7.com]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Excesso de exercícios físicos é fator de risco para a saúde do corpo
Próximo post
Implante no cérebro pode curar Transtorno Obsessivo Compulsivo

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu