Proteína é capaz de combater a pressão alta e as doenças cardíacas

20130421232134642341oCientistas da UFMG testam uso de proteína produzida naturalmente pelo organismo e observam que ela é capaz de combater a hipertensão e doenças cardíacas. O estudo deve resultar em novas formas de tratamento daqui a poucos anos Belo Horizonte — Pesquisa do Laboratório de Hipertensão do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) deve ter grande contribuição para o tratamento da pressão alta, doença crônica que atinge 22,7% da população brasileira adulta no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde. Em todo o mundo, a hipertensão é responsável pela morte anual de 9,4 milhões de pessoas e ainda está relacionada a 45% dos ataques de coração e a 51% dos derrames cerebrais, alerta a Organização Mundial da Saúde (OMS). Hoje, o tratamento de pacientes hipertensos ocorre por meio da administração de medicamentos que têm como base moléculas produzidas em laboratório. Por isso, na maior parte dos casos, esses remédios podem acarretar uma série de efeitos colaterais. A intenção é que essas moléculas deem lugar a fragmentos de proteínas, os chamados peptídeos, que atuam na dilatação dos vasos sanguíneos e têm característica endógena. Isso quer dizer que esses peptídeos já são produzidos naturalmente pelo próprio corpo humano, o que reduziria a incompatibilidade e, consequentemente, os efeitos colaterais.]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
População subestima a gravidade da dengue, alertam gestores de saúde
Próximo post
Combate à celulite em menos tempo com mais resultado

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu