Infectologista alerta sobre os riscos do piercing

Usar piercing é moda entre os jovens, mas alguns adultos também utilizam. Para embelezar o visual aderem ao adorno que pode ter de diferentes tamanhos, formatos, espessuras e cores. Porém, algumas pessoas não levam em consideração os riscos à saúde, como infecções nas áreas do corpo perfuradas para colocação dos piercings. As áreas mais comuns para colocação do acessório são: a cartilagem da orelha, língua, sobrancelha e nariz, entretanto, algumas pessoas vão além e colocam nos mamilos, na parte genital e até sob a pele da cabeça.

Uma pesquisa publicada pela Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, revela que 20% dos furos geram infecções e sangramentos. O estudo ainda aponta as áreas de maior risco — a boca e as genitais. A infectologista do Hospital Daher, Dra. Luciana Lara, alerta que o maior risco ao furar alguma área do corpo é a infecção causada por vírus como HIV, hepatite B e hepatite C. “O principal fator negativo são os riscos por infecção do vírus  HIV, Hepatite B e C. O material utilizado pelos profissionais deve ser esterilizado ou,  de preferência, descartável para evitar contaminações”, explica.

A médica ainda afirma que o maior risco é a transmissão do vírus da hepatite C, pois para prevenir a hepatite B existe a vacinação. Já a hepatite C permanece no ambiente por sete dias e não há como evitar o contágio se o instrumental o estiver infectado. A contaminação pelo  HIV se torna mais rara, porque o vírus sobrevive apenas por alguns minutos em meio ambiente, e caso a esterilização dos instrumentos seja realizada de forma correta, os riscos de infecção são praticamente eliminados. “O ideal é lavar o material instrumental com água e sabão e esterilizá-lo”.

Uma dica importante é ter conhecimento sobre o lugar escolhido para a colocação do piercing, avaliar  se o material utilizado é esterilizado ou descartável e fazer a assepsia  antes de perfurar alguma região do corpo, um processo que pode ajudar a prevenir doenças por infecção.

 

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

1 Comentário. Deixe novo

  • tive um contato há um ano e seis meses e gostaria de saber se é possivel ainda haver risco mesmo com 6 testes negativos
    pois sinto problemas de fadiga suor com facilidade
    ganho e perca de peso e ardencia em partes do corpo

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Fisioterapia respiratória é útil no tratamento de doenças como a asma
Próximo post
Mais de 40% dos brasileiros acreditam que diabetes é doença exclusivamente de idosos, revela pesquisa

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu

Olá! Nosso site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Para saber como alterar as configurações de cookies do seu navegador, clique aqui.

Se continuar navegando, entenderemos que você concorda com nossos termos de uso, política de privacidade e política de cookies.

Abaixo, você pode escolher que tipo de cookies você permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FuncionaisNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.Ao continuar navegando, entenderemos que você concorda com nossos termos de uso, política de privacidade e política de cookies.

AnalíticosNosso site utiliza cookies analíticos para possibilitar a análise e otimização para fins de usabilidade.

Mídias sociaisNosso site coloca cookies de mídias sociais para mostrar a você conteúdo de terceiros, como YouTube e FaceBook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

PropagandaNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OutrosNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços que não são analíticos, de mídias sociais ou de publicidade.