Bexiga caída atinge 20% das mulheres com mais de 40 anos, mas tem cura

20130714210916170595oBelo Horizonte — Vergonha e desconhecimento levam muitas mulheres a acreditar que enfrentam um problema raro e a se afastar do tratamento. Mas a queda da parede da vagina, o prolapso genital, é mais comum do que se imagina. A doença, que pode surgir a partir dos 40 anos, atinge duas em cada 10 mulheres, trazendo problemas para a vida sexual, incontinência urinária, dor intensa e piora considerável da qualidade de vida. Apesar das complicações, especialistas avisam que há como reverter e evitar a disfunção. Popularmente conhecido como bexiga caída, o prolapso genital acontece devido ao enfraquecimento dos músculos da região pélvica, causando o deslocamento de órgãos como o útero, a bexiga, o reto, o intestino delgado e a uretra. “Existem quatro graus de prolapso. Nos mais graves, a mulher sente uma bola na região genital, que causa enorme desconforto e constrangimento. Ela passa a evitar o parceiro, já que, além da vergonha, o ato sexual pode se tornar doloroso. A doença prejudica também a qualidade de vida, uma vez que causa perda involuntária de urina”, explica a ginecologista Sílvia Carramão. Segundo a médica da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, o principal sintoma do problema “é a sensação de uma bola descendo pela vagina”. “A bola, na verdade, é a parede da vagina caindo”, explica. A ginecologista e obstetra Nilce Consuelo Verçosa, do Hospital da Mulher e Maternidade Santa Fé, de Belo Horizonte, diz que pesquisadores enfatizam que o prolapso genital é uma doença multifatorial. “Para o desenvolvimento dele, contribuem fatores sobre os quais não é possível intervir, como idade e história familiar; e outros que podem ser alterados, como obesidade, paridade, tipos de parto e macrossomia fetal (excesso de peso do recém-nascido), assim como fatores ou patologias que aumentem a pressão abdominal, como tosse crônica e tumores abdominopélvicos”, lista. Fonte: Correio Braziliense ]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Pesquisa liga obesidade a maior risco da osteoporose
Próximo post
Diabetes: perder peso protege de doenças cardiovasculares?

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

    Menu

    Olá! Nosso site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Para saber como alterar as configurações de cookies do seu navegador, clique aqui.

    Se continuar navegando, entenderemos que você concorda com nossos termos de uso, política de privacidade e política de cookies.

    Abaixo, você pode escolher que tipo de cookies você permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

    FuncionaisNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.Ao continuar navegando, entenderemos que você concorda com nossos termos de uso, política de privacidade e política de cookies.

    AnalíticosNosso site utiliza cookies analíticos para possibilitar a análise e otimização para fins de usabilidade.

    Mídias sociaisNosso site coloca cookies de mídias sociais para mostrar a você conteúdo de terceiros, como YouTube e FaceBook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

    PropagandaNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

    OutrosNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços que não são analíticos, de mídias sociais ou de publicidade.