Como aliviar as dores da cólica menstrual

colicaO grande problema que as mulheres precisam enfrentar uma vez por mês, a menstruação, acaba não sendo um problema tão grave assim comparado ao que acontece nos dias que antecedem este período. Muitas mulheres acabam tendo que conviver, com o passar dos anos, com as dores abdominais que antecedem os dias da menstruação. Os especialistas confirmam que a maioria das mulheres sente dores, e que são poucas as sortudas que conseguem passar impunemente pelo período sem sentir estes desconfortos.

A chamada Dismenorreia, que acaba sendo mais conhecida apenas como cólica, atinge de 70% a 90% das mulheres no mundo inteiro. E os médico afirmam que dentro este percentual, pelo menos metade das mulheres afirmam que a sensação de dor é tão forte que em determinado momento do dia ela simplesmente não consegue fazer nada. E como não é possível abandonar o trabalho por causa deste problema que acontece todos os meses, elas sofrem muito em termos de produtividade quando as dores começam.

Apesar de a cólica atingir a qualquer mulher que esteja no seu período fértil, na verdade existe um grupo específico de mulheres que acabam sofrendo mais, que são as adolescentes em média de 13 anos de idade. Neste período, geralmente, é que os ovários nas mulheres começam a amadurecer e a partir deste momento eles vão começar a liberar um óvulo por mês.

Médicos afirmam que a grande maioria das queixas de dores estão relacionadas a origem primária, que é em decorrência do ciclo normal, e não de uma alteração orgânica extraordinária.

Tratamentos

De um modo geral, existe um tipo de tratamento que é feito nas mulheres com a utilização de antiespasmódicos, antiinflamatórios ou até mesmo anticoncepcionais. Os médicos afirmam que na grande maioria dos casos eles conseguem dar conta do recado e amenizar um pouco as dores. Mas nem sempre os remédios conseguem agir com a rapidez que eles querem. Mas existem algumas novidades interessantes em termos de medicamentos e tratamentos que podem ajudar a combater o problema.

Recentemente, o laboratório Boehringer Ingelheim lançou um remédio em cápsula-gel à base de ibuprofeno, um antiinflamatório não-hormonal indicado para aliviar a situação. A vantagem? “Ele age com velocidade, como se fosse um medicamento líquido, mas tem a praticidade de uma cápsula”, resume Ricardo Amorim, gerente de grupo de produtos da linha gastrointestinal da empresa. “O comprimido comum leva cerca de duas horas para atingir seu efeito pleno, enquanto a nova fórmula começa a ser absorvida em 20 minutos e leva no máximo uma hora para eliminar de vez o desconforto”, garante.

De um modo geral, este medicamento apresenta uma concentração menor do princípio ativo ao mesmo tempo em que consegue um resultado maior em termos de ação analgésica.

Em alguns casos, nem mesmo o tratamento com remédios mais fortes vai conseguir resolver o problema das dores. Nesta situação, é importante que as mulheres passem para uma investigação mais aprofundada do que pode estar acontecendo e verificar se não existe uma chamada causa secundária do problema. Estas causas são bastante variadas, podendo ser uma infecção, um tumor benigno, uma má formação do revestimento do útero, dentre outros problemas.

Uma dica interessante que os médicos recomendam é que os remédios sejam ingeridos logo depois das refeições. Algumas mudanças nas comidas, como uma dieta rica em vegetais, vitaminas B1, B6 e E, além de gordura proveniente dos peixes, reduz a severidade das dores, garante a ginecologista.

Por outro lado existem alguns alimentos que devem ser evitados, como café, o chocolate e os refrigerantes à base de cola.

Fonte: R7

]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

1 Comentário. Deixe novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
AVC pode ser prevenido com hábitos saudáveis, lembram especialistas
Próximo post
Estudo aponta que obesidade nas meninas provoca puberdade precoce

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu