Estudo aponta que 30% da população mundial sofre de algum tipo de alergia

einstein-saude-alergiaDe repente, as atenções se voltaram ao glúten. De ingrediente desconhecido à grande vilã dos rótulos alimentares, a proteína virou bode expiatório para toda sorte de desconforto gastrointestinal. Mesmo sem nunca ter sido diagnosticada, muita gente resolveu que tem alergia a esse componente dos grãos e o baniu do cardápio. A vacina contra a influenza também recebe torcidas de nariz. Como é preparada com vírus inoculados em embriões de ovo, pessoas que não podem com este alimento preferem pegar gripe a enfrentar uma reação. O que poucos sabem, porém, é que a imunização não provoca nenhum tipo de dano mesmo aos mais sensíveis à clara. Por sua vez, alergia a glúten é uma condição extremamente rara %u2014 o que existe é intolerância a ele. Mitos a respeito de alergias alimentares, medicamentosas e respiratórias são comuns. Ainda mais quando cerca de 70% dos usuários de internet buscam, na rede, informações sobre saúde. A falta de filtros que garantam a confiança dos dados faz com que muitas publicações tragam conceitos errados, que acabam compartilhados e reproduzidos em páginas do mundo todo. Essa é uma preocupação do alergologista e imunologista David Stukus, do Hospital Infantil da Nação, em Columbia. Durante o 70º Encontro Anual do Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia (ACAAI), evento que se encerra hoje nos EUA, o médico advertiu que as informações incorretas levam os pacientes a tomar atitudes perigosas e desnecessárias. Segundo Stukus, cerca de 30% da população mundial sofre de algum tipo de alergia, o que justifica o grande interesse pelo assunto. Principalmente por parte dos pais, já que, com o sistema imunológico ainda em desenvolvimento, crianças pequenas costumam ser as grandes vítimas dessa reação exagerada do organismo a algum agente externo. O médico, aliás, diz que muitas pessoas não sabem ao certo o que é uma alergia, o que pode aumentar as confusões. %u201CTrata-se de uma resposta do sistema imune a uma substância específica, que chamamos de alérgeno. Em contato com essa substância, que pode ser pólen, ácaros e algumas proteínas contidas em alimentos, por exemplo, o organismo responde lançando histaminas e outros agentes químicos%u201D, diz. A reação tem como consequência os conhecidos sintomas: espirro, tosse, coceira na garganta e nos ouvidos, irritação na pele e dor no estômago, entre outros. Fonte: Correio Braziliense]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Exercício na gravidez melhora o desenvolvimento cerebral do bebê
Próximo post
Depressão acelera envelhecimento de células, diz estudo

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu