Alimentos e excesso de exercícios podem piorar a dor de cabeça

shutterstock_77905405-590x448Será que há alguém no mundo que nunca tenha sentido dor de cabeça ou não vá sofrer com uma? Improvável. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia, 95% da população no país apresentará uma dor de cabeça ao longo de sua vida. Cerca de 70% das mulheres e 50% dos homens terão pelo menos um episódio de cefaleia ao mês. A enxaqueca ocorre em até 20% das mulheres e entre 5% e 10% da população masculina. No Brasil, um total de 13 milhões de pessoas vão encarar a dor de cabeça pelo menos 15 dias por mês, a chamada cefaleia crônica diária. Números considerados alarmantes. Uma classificação internacional indica que há mais de 150 tipos de cefaleias, sendo as mais comuns a cefaleia tensional e as enxaquecas. A primeira é considerada a mais frequente, apresenta-se com dor leve a moderada, geralmente em pressão em toda a cabeça, com duração de uma hora até vários dias. Ela é desencadeada principalmente por cansaço e estresse emocional. Já a enxaqueca tem vários subtítulos e é marcada por intolerância do paciente a luz, cheiros, barulhos e movimentos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia, 95% da população no país apresentará uma dor de cabeça ao longo de sua vida (Quinho / EM / DA Press) De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia, 95% da população no país apresentará uma dor de cabeça ao longo de sua vida Segundo Célia Roesler, da Sociedade Brasileira e Internacional de Cefaleia e membro titular da Academia Brasileira de Neurologia, a enxaqueca é um tipo de cefaleia e não é a mais comum. A diferença, de acordo com Célia, é que a enxaqueca ocorre em um ou ambos os lados da cabeça, predominando a dor latejante e pulsátil, podendo durar de quatro até 72 horas, acompanhada de náuseas e/ou vômito. A sensação de quem sofre da enxaqueca é a de não ter escapatória. No entanto, a presidente da Sociedade Mineira de Neurologia, Rosamaria Guimarães, enfatiza que quando o paciente tem consciência de seus hábitos é possível identificar os gatilhos da dor de cabeça. Às vezes não é preciso sequer tomar remédio, mas mudar de comportamento. “Quer dizer, se a privação do sono é que vai desencadear a dor, procure dormir bem.” DE OLHO NOS GATILHOS Rosamaria enumera vários gatilhos com os quais lidamos no dia a dia e que podem provocar a dor de cabeça. Conhecê-los é fundamental para evitar o que afeta seu bem-estar. Um dos gatilhos está no que você come. Então, ela recomenda: “Se você come alguma coisa e sente dor de cabeça na sequência, passe a observar mais sua alimentação. Queijos defumados, amarelos, comida chinesa (por causa do glutamato monossódico), embutidos, enlatados (por causa dos conservantes, estabilizantes e aromatizantes), alimentos gordurosos e chocolate estão nessa lista”, indica. Há ainda as bebidas alcoólicas, principalmente o vinho tinto, além de bebidas com cafeína, como café, chá (preto e mate) e a Coca-Cola. “A cafeína trata, mas também dá dor de cabeça”, diz. Tem ainda o grupo dos odores, com os perfumes, cigarros e produtos de limpeza. Célia Roesler enfatiza que “os gatilhos são para a enxaqueca. O paciente enxaquecoso pode estar sem dor, mas se exposto a eles vai senti-la.” E os gatilhos para os quais ela chama a atenção, além dos já citados pela colega Rosamaria Guimarães, são molhos vermelhos, shoyu, fritura de modo geral, muitas horas sem se alimentar ou comer muito, mudança brusca de temperatura e calor excessivo, estresse físico e emocional, dormir pouco ou muito, nervosismo, cansaço, muita euforia, tristeza demais… “Não é receita de bolo. Cada pessoa é diferente. Nem todas vão ter dor de cabeça com chocolate. Para quem tem enxaqueca, o importante é não sair da rotina. A recomendação é ter dieta leve, horário regular de sono, fazer atividade física, já que aumenta a endorfina, nosso analgésico natural (se estiver com dor, fique em repouso porque qualquer esforço vai piorar).” A neurologista Rosamaria ressalta ainda que há outros desencadeadores da dor. “Exercício físico extenuante, tiaras e rabo de cavalo apertados (por causa da tensão da musculatura, que vai gerar contração e a dor), remédios de pressão arterial (efeito colateral) e pílulas anticoncepcionais. Pessoas com bruxismo às vezes não sabem que têm o problema na articulação temporo-mandibular e acordam de manhã com a dor. Há ainda relatos da dor de cabeça sexual (enxaqueca por coito).” Rosamaria lembra que a dor ataca mais as mulheres por questões hormonais. “Ela é 10 vezes mais comum que no homem. E tem tendência a desaparecer com a menopausa.” Ela chama atenção também para a cefaleia crônica. “Essa é caracterizada pela dor que ocorre mais de 15 dias por mês, por três meses.” Fonte: Saúde Plena]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Álcool é mais mortal para quem está na meia-idade
Próximo post
Antioxidantes podem aumentar risco de câncer de pulmão, diz estudo

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu