Gene presente em células-tronco raras, potencializa a renovação da membrana ocular.

vacinaA preocupação com os efeitos das vacinas que as crianças tomam durante a infância tem feito com que alguns pais deixem vacinar seus filhos. Esse fenômeno vem ocorrendo nos EUA há alguns anos e tem acontecido também no Brasil. A revista americana “Pediatrics” publicou uma revisão de 67 estudos sobre vacinas nos EUA que conclui que algumas delas podem estar associadas a efeitos colaterais graves, mas eles são muito raros e não incluem o autismo, alergias alimentares ou câncer. Conforme noticia a agência AFP, o foco da revisão é uma série de vacinas comumente dadas a crianças com menos de 6 anos de idade nos EUA. “Descobrimos que os efeitos adversos sérios que estão ligados às vacinas são muito raros, e quando eles ocorrem muitas vezes não são necessariamente graves”, disse a coautora Courtney Gidengil, pediatra do Hospital Infantil de Boston e professora da Harvard Medical School. “Achamos que isso contribui para encorpar as evidências de que os benefícios realmente parecem superar o baixo risco de efeitos colaterais graves de vacinas”, disse à AFP. Os efeitos colaterais das vacinas tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e de pneumococo têm potencial para causar febre e convulsões. A tríplice viral e a da hepatite A também estão ligadas a um efeito colateral chamado púrpura, quando pequenos vasos sanguíneos vazam sob a pele. Também apareceram algumas evidências de que as crianças com imunodeficiência que receberam a vacina contra catapora pode desenvolver infecções ou ter uma reação alérgica. Nenhuma morte associada a vacinas foi encontrada na pesquisa. O relatório ntambém ão encontrou nenhuma ligação entre vacinas da infância e a incidência de leucemia. Tampouco foi identificada qualquer evidência que ligue a vacina tríplice viral ao aparecimento de autismo. O estudo descreve as vacinas como “uma das maiores conquistas da saúde pública do século 20 pelo seu papel na erradicação da varíola e no controle de poliomielite, sarampo, rubéola e outras doenças infecciosas nos Estados Unidos.” Fonte: Bem Estar]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Cientistas identificam técnica que melhora a regeneração de córneas
Próximo post
Cabelo x gravidez: o que pode ou não ser feito nos fios!

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu