Mudanças na alimentação, antes e depois da cirurgia bariátrica

Quando uma pessoa toma a decisão de fazer redução do estômago, cirurgia bariátrica, o tratamento começa com o acompanhamento de uma equipe médica multidisciplinar composta, além do cirurgião, de endocrinologista, cardiologista, rinologista, psicólogo, psiquiatra, entre outros. Mas, é pela boca, na fase oral da deglutição, que ocorre o processo para a saciedade e o controle do peso corporal. Portanto, desde o começo do tratamento, já devem começar, também, os cuidados nutricionais.

A cirurgia para a redução de estômago passa a ser uma opção a partir do momento em que as mudanças alimentares e a prática de exercícios físicos não dão mais resultado. Ela é normalmente indicada quando o Índice de Massa Corporal (IMC) é maior que 40kg/m², independentemente de doenças pré-existentes, ou quando o IMC está entre 30 e 40kg/m² e existe a presença de mais de uma patologia como, por exemplo, diabetes e hipertensão.

De acordo com a supervisora de nutrição do Hopital Daher Lago Sul, Gianna Rosa, as doenças precisam ter, obrigatoriamente, a classificação grave por um médico especialista na respectiva área e, também, é obrigatória a constatação da intratabilidade clínica da obesidade por um endocrinologista.

Antes da cirurgia, é preciso que a pessoa passe a fazer exercícios de mastigação, por exemplo, que é um processo que irá se modificar após o procedimento. O paciente é incentivado a ter uma mastigação pausada e que cada garfada não seja cheia, já que, após a cirurgia, a capacidade gástrica é diminuída. “A ingestão apressada dos alimentos pode prejudicar tanto a digestão como a estrutura física do órgão operado”, explica a nutricionista.

O acompanhamento nutricional também deve continuar após a cirurgia, onde começa uma progressiva e lenta introdução alimentar. A orientação sobre o tipo de dieta bem como a progressão alimentar é feita para evitar transtornos como a Síndrome de Dumping, um mal estar súbito causado pela passagem rápida dos alimentos sólidos e líquidos do estômago para o intestino e que pode causar cefaleia, taquicardia, tremor, sudorese, diarreia e vômitos e costuma acontecer com mais frequência após a ingestão de doces. “Iniciamos a dieta com líquidos e depois passamos para uma consistência mais pastosa, até chegar ao sólido”, completa a nutricionista.

A Dra. Gianna ainda alerta que é necessário seguir rigorosamente a dieta proposta e aconselha aos pacientes que irão passar pelo procedimento a sempre optarem por alimentos leves e evitar líquidos durante as refeições. “Frituras, doces em excesso e líquidos também atrasam a digestão dos alimentos”, alerta a nutricionista.

Em alguns casos, pode haver, ainda, a necessidade da ingestão de vitaminas, sempre com a orientação do nutricionista. E esses cuidados são essenciais para o êxito da cirurgia.

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

1 Comentário. Deixe novo

  • Bom dia! Gostaria de saber, se aceita o convenio FUSEX DO EXERCICITO . Fiz bariatrica 6 anos .
    Estou querendo fazer plastica nas coxas e bracos.
    E gostaria de um acompanhamento para eliminar mais uns 7 quilos. E mante-los depois da cirurgia.
    obrigado.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Varizes: Descubra como cuidar e prevenir
Próximo post
Cãibras sinalizam desequilíbrio de nutrientes

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

Menu