Novo tratamento com anticorpos ajuda a reduzir carga viral do HIV no corpo

Cientistas americanos descobriram um novo tratamento baseado em anticorpos que poderiam reduzir a quantidade de vírus HIV presente no sangue de uma pessoa infectada, publicou nesta quarta-feira a revista “Nature”.

Pesquisadores da Universidade Rockefeller realizaram o primeiro teste em humanos com uma nova geração dos anticorpos amplamente neutralizantes, capazes de resistir a várias cepas do HIV.

Em uma pessoa infectada com o HIV existe uma luta entre o vírus e o sistema imunológico, que se defende desse agente estranho que invadiu o organismo, explicou Marina Coaskey, co-autora do estudo.

Apesar de o corpo produzir anticorpos para atacar ao vírus, ele constantemente para escapar e consegue se manter o tempo todo um passo à frente dos anticorpos que o combate.

Esta nova pesquisa descobriu que a administração de um anticorpo potente chamado 3BNC117 pode surpreender o HIV com a guarda baixa e reduzir sua carga viral, relatou a pesquisadora.

“O especial destes anticorpos é que atuam contra mais de 80% das cepas de HIV e são extremamente potentes”, disse Caskey.

Os anticorpos amplamente neutralizantes são produzidos naturalmente em entre 10% e 30% das pessoas com HIV, mas somente vários anos após o contágio.

Nesse momento, o vírus já evoluiu o suficiente para ser capaz de escapar destes poderosos anticorpos.

Os cientistas isolaram e clonaram o anticorpo 3BNC117 obtido de pacientes de longa duração e o aplicaram em indivíduos recentemente infectados para provar sua eficiência.

Pesquisas anteriores já tinham demonstrado o papel deste anticorpo para suprimir a infecção em ratos, mas esta é a primeira vez que a nova geração de anticorpos contra o HIV é testada em humanos.

Segundo o estudo, o mais provável é que o 3BNC117, como acontece com outros antirretrovirais, seja utilizado combinado com outros anticorpos ou remédios para manter a infecção sob controle.

“Um anticorpo só, como um remédio por si mesmo, não é suficiente para suprimir a carga viral durante muito tempo porque criará resistência”, assinalou Caskey.

Além da possibilidade de tratamento, este estudo também aumenta as esperanças sobre uma vacina contra o HIV, já que este tratamento poderia ajudar a bloquear a infecção antes do desenvolvimento da doença.

Fonte:www.terra.com.br

]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Vacina contra Alzheimer começa a ser testada em humanos
Próximo post
Novos atendimentos em Oftalmologia, Cirurgia Geral e Angiologia

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

    Menu

    Olá! Nosso site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Para saber como alterar as configurações de cookies do seu navegador, clique aqui.

    Se continuar navegando, entenderemos que você concorda com nossos termos de uso, política de privacidade e política de cookies.

    Abaixo, você pode escolher que tipo de cookies você permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

    FuncionaisNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.Ao continuar navegando, entenderemos que você concorda com nossos termos de uso, política de privacidade e política de cookies.

    AnalíticosNosso site utiliza cookies analíticos para possibilitar a análise e otimização para fins de usabilidade.

    Mídias sociaisNosso site coloca cookies de mídias sociais para mostrar a você conteúdo de terceiros, como YouTube e FaceBook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

    PropagandaNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

    OutrosNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços que não são analíticos, de mídias sociais ou de publicidade.