Higiene íntima: identifique seu erro e adote a atitude certa para evitar infecções

Ginecologista ensina como driblar o cheiro indesejável e as doenças íntimas

Você sabia que o excesso ou a falta de limpeza podem prejudicar o pH da vagina — grau de acidez que impede a ação de bactérias — e resultar em uma série de doenças? A higiene da região genital deve ser feita com sabonete líquido próprio para a área íntima ou a versão líquida comum, mas com pouco perfume e, de preferência, sem coloração, ensina a médica.

— A formulação do sabonete em barra pode ressecar a região e facilitar a entrada de microrganismos, por isso é melhor só usá-lo no corpo. Esta dica também vale para os homens. Algumas pessoas têm o hábito de tomar banho após fazer o “número dois”. Segundo Bárbara, a atitude está correta para complementar a limpeza feita com o papel higiênico.

— Como nem sempre isso é possível, uma boa alternativa é usar lenço umedecido para adultos, não aqueles infantis. O mercado já disponibiliza esta versão. Quem optar pelo chuveirinho, a médica orienta fazer a limpeza sempre no sentido da vagina em direção ao ânus para que não haja a contaminação com as bactérias provenientes do intestino.

— A dica também vale para o uso de papel higiênico, já que estas bactérias são a principal causa de infecções femininas. Papel higiênico colorido, perfumado e com desenho pode ser muito fofo e bonitinho, mas prejudica a saúde íntima e não deve ser utilizado, adverte a ginecologista.

— Qualquer produto perfumado e colorido tem química na formulação e pode causar alergias. Por isso, sempre opte pelo papel higiênico branco. Após a relação sexual, é recomendado tomar banho para limpar a região genital corretamente. Além disso, a especialista também orienta fazer xixi.

—A mulher tem a uretra menor que a do homem, o que facilita a chegada das bactérias na bexiga. O xixi é uma maneira de ‘lavar’ a uretra e diminuir o risco de infecção. Pode estar na moda depilar totalmente (ou quase) a área genital feminina e até a masculina, mas Bárbara avisa que os pelos atuam como uma barreira protetora, por isso não devem ser totalmente eliminados.

— O ideal é que as mulheres depilem no contorno do biquíni. Outra dica é aparar o restante dos pelos com uma tesoura. O mesmo vale para os homens.

Fonte: www.r7.com

]]>

schedule

Agende a sua consulta no Hospital Daher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Post anterior
Estudo britânico "olha obesidade pelo buraco da fechadura", avalia professor
Próximo post
“Alzheimer é visto hoje como o câncer na década de 80”, diz psicóloga

Youtube Daher

Notícias Daher

share

Compartilhe:

mails

Receba nossas novidades:

    Menu

    Olá! Nosso site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Para saber como alterar as configurações de cookies do seu navegador, clique aqui.

    Se continuar navegando, entenderemos que você concorda com nossos termos de uso, política de privacidade e política de cookies.

    Abaixo, você pode escolher que tipo de cookies você permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

    FuncionaisNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.Ao continuar navegando, entenderemos que você concorda com nossos termos de uso, política de privacidade e política de cookies.

    AnalíticosNosso site utiliza cookies analíticos para possibilitar a análise e otimização para fins de usabilidade.

    Mídias sociaisNosso site coloca cookies de mídias sociais para mostrar a você conteúdo de terceiros, como YouTube e FaceBook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

    PropagandaNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

    OutrosNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços que não são analíticos, de mídias sociais ou de publicidade.