Posts

Procedimentos minimamente invasivos ou cirurgia plástica?

Neste momento, o mundo desfruta da chegada dos procedimentos estéticos minimamente invasivos, um conjunto de técnicas que oferecem dano físico mínimo ao cliente saúde e um resultado próximo ao da intervenção cirúrgica convencional. Portanto, com a oferta no mercado de preenchimentos faciais, um método menos agressivo e que proporciona o efeito desejado, a cirurgia plástica da face tende a desaparecer? Não é o que pensa um dos precursores da cirurgia plástica em Brasília, o cirurgião plástico Dr. José Carlos Daher.

A medicina cirúrgica e a minimamente invasiva não competem entre si, mas, de acordo com Dr. Daher, representam mercadorias e ciências diferentes, que tiveram distintas épocas de ouro e, atualmente, ocupam lugares e momentos diversos na vida do cliente saúde que busca manter sua jovialidade. Para compreender como funciona a associação das técnicas, é preciso recuperar as mudanças que o conceito de envelhecimento sofreu.

Durante os anos 1960 e 70, ocorria o boom da cirurgia plástica no Brasil, introduzida “pelas mãos e palavra” do cirurgião plástico Dr. Ivo Pitanguy, com quem Dr. Daher trabalhou. A ritidoplastia era a cirurgia que eliminava o que até então se entendia por envelhecimento: as rugas. Por meio do descolamento e tração da pele do rosto, retirava-se os sinais do cliente saúde entre seus 37 e 41 anos.

Envelhecer, no entanto, não se refere mais somente ao surgimento de rugas, mas também à queda das estruturas e perda do volume da face. A recente definição de envelhecimento agora leva em consideração o contorno cavo dos olhos (olheiras profundas), o aparecimento do “bigode chinês” (traços que ligam o nariz à boca) e o emagrecimento das maçãs do rosto, entre outros sinais. E, para dar conta desses novos problemas, a cirurgia plástica da face precisou de auxílio.

Segundo Dr. Daher, a recuperação da jovialidade depende da associação de preenchimentos e retiradas de volume em locais específicos, o que não se resolve somente “puxando a pele”. O preenchimento facial com ácido hialurônico, por exemplo, ocupa os sulcos e rugas do rosto. Enquanto a aplicação da toxina botulínica (o popular “botox”) paralisa os músculos, o que impede a formação das rugas de expressão. Há também os lasers, que retiram manchas e até tatuagens, e os peelings, voltados para melhorar a textura da pele.

No entanto, os procedimentos minimamente invasivos são alternativas iniciais, que cumprem o papel de protelar a realização da cirurgia plástica da face para quem deseja envelhecer bem. Com o passar do tempo, o cliente saúde atinge uma idade em que a aplicação de preenchedores e botox não adianta mais, porque, de acordo com Dr. Daher, “há uma desestruturação importante dos tecidos e ligamentos que sustentam a pele”.

E essa desestruturação só pode ser revertida cirurgicamente. Segundo Dr. Daher, a partir dos 50 anos de idade é recomendada a cirurgia plástica da face, para que o cliente saúde chegue aos 80 com uma aparência jovial. Assim, os procedimentos minimamente invasivos não representam ameaça à ritidoplastia, mas a antecedem até o ponto em que não podem mais contribuir. A medicina minimamente invasiva é aliada da cirúrgica no processo de manutenção da jovialidade.

Saiu na Mídia: Palavra do especialista

daher-clipping1

daher-clipping-2

Publicado em: Correio Braziliense.

Saiu na mídia: Hospital Daher é destaque em Congresso Internacional sobre Rejuvenescimento Facial

Cerca de 800 cirurgiões plásticos e médicos de Medicina Estética de várias partes do mundo se reuniram, durante uma semana em setembro, na cidade de Cannes, no sul da França, com o importante objetivo de participar do Congresso Internacional Face 2 Face. Nomes renomados e em constante busca de conhecimentos tiveram a oportunidade de trocar experiências de sucesso e debater sobre passado, presente e futuro das técnicas e equipamentos destinados ao rejuvenescimento da face.

A presença do Hospital Daher Lago Sul foi marcante no evento por ter feito a principal apresentação sobre as cirurgias do rejuvenescimento facial, na qual o Dr. José Carlos Daher mostrou toda a evolução técnica deste procedimento em sua experiência profissional, conceituando o Estado da Arte atual neste tema.

O Dr. José Carlos Daher ressaltou a evolução da cirurgia plástica estética nos últimos 40 anos. “Nos anos 70, quando eu comecei ao lado do Dr. Ivo Pitanguy, era uma época em que ninguém aceitava chegar aos 40 anos sem uma cirurgia plástica. Mas os tempos evoluíram e as formas de procedimentos complementares para melhorar a qualidade da pele têm hoje um papel preponderante que consegue manter o aspecto de juventude por mais tempo que antes, protelando as cirurgias de rejuvenescimento facial dos 38/40 anos, para os 48/55 anos.

“Existe uma tendência mundial pelos processos menos invasivos, que hoje são reconhecidos por todos os cirurgiões plásticos. Ainda que o Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Daher opte por técnicas menos invasivas, como a platismotomia fechada (tratamento do pescoço sem descolamentos da área), adotamos também os procedimentos complementares modernos, como o Laser Spectra. Estes raios têm a propriedade do rejuvenescimento por tratamento não cirúrgico, retiram e clareiam manchas e retiram tatuagens, um dos maiores problemas enfrentados pela cirurgia plástica.

“Dentre os procedimentos menos invasivos estão os preenchedores provisórios (absorvíveis) e permanentes, que permitem acabar com todas as depressões e aumentar os volumes da face. Por exemplo, melhorar os sulcos em volta da boca, o popularmente chamado bigode chinês, aquelas linhas de expressão verticais nas laterais, que vão do nariz até a boca. Além disto, a recuperação dos volumes das maçãs do rosto ou outras áreas da face é feita em consultório, traz resultados praticamente instantâneos e não exige o pós-operatório.

“O Congresso foi muito interessante ao integrar palestrantes com diversas tendências, reunindo informações sobre o que podemos oferecer de mais seguro e eficaz aos nossos pacientes”, conclui o Dr. Daher.

Saiba mais sobre o Dr. José Carlos Daher

O início da carreira foi na década de 70, quando se formou pela então Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em seguida, especializou-se em Cirurgia Plástica com o professor Dr. Ivo Pitanguy.

Tornou-se uma das referências da Cirurgia Plástica e é considerado pioneiro, nesta área, em Brasília. É autor de várias técnicas originais publicadas no país e no exterior. É membro de diversas sociedades nacionais e internacionais de Cirurgia Plástica e Mastologia, tendo sido um dos pioneiros mundiais nas técnicas modernas de reconstruções mamárias, pós-tratamento de câncer de mama.

Saiba mais sobre o Hospital Daher

O Hospital Daher Lago Sul é referência no Distrito Federal. A unidade funciona há mais de 20 anos em área nobre do DF, onde o paciente encontra toda a comodidade de que precisa. Em um mesmo lugar, centraliza atendimentos em diversas especialidades, pronto-socorro, unidade de terapia intensiva, centro cirúrgico, laboratórios, bem como procedimentos modernos e eficazes voltados para o diagnóstico, acompanhamento e tratamento das doenças. Por promover um serviço humanizado, acolhedor e seguro e, consequentemente, a saúde e o bem-estar das pessoas, o Hospital Daher agora é visto como um Centro de Hospitalidade.

Publicado em: Segs- Portal Nacional

 

Hospital Daher é destaque em Congresso Internacional sobre Rejuvenescimento Facial

Cerca de 800 cirurgiões plásticos e médicos de Medicina Estética de várias partes do mundo se reuniram, durante uma semana em setembro, na cidade de Cannes, no sul da França, com o importante objetivo de participar do Congresso Internacional Face 2 Face. Nomes renomados e em constante busca de conhecimentos tiveram a oportunidade de trocar experiências de sucesso e debater sobre passado, presente e futuro das técnicas e equipamentos destinados ao rejuvenescimento da face.

A presença do Hospital Daher Lago Sul foi marcante no evento por ter feito a principal apresentação sobre as cirurgias do rejuvenescimento facial, na qual o Dr. José Carlos Daher mostrou toda a evolução técnica deste procedimento em sua experiência profissional, conceituando o Estado da Arte atual neste tema.

O Dr. José Carlos Daher ressaltou a evolução da cirurgia plástica estética nos últimos 40 anos. “Nos anos 70, quando eu comecei ao lado do Dr. Ivo Pitanguy, era uma época em que ninguém aceitava chegar aos 40 anos sem uma cirurgia plástica. Mas os tempos evoluíram e as formas de procedimentos complementares para melhorar a qualidade da pele têm hoje um papel preponderante que consegue manter o aspecto de juventude por mais tempo que antes, protelando as cirurgias de rejuvenescimento facial dos 38/40 anos, para os 48/55 anos.

“Existe uma tendência mundial pelos processos menos invasivos, que hoje são reconhecidos por todos os cirurgiões plásticos. Ainda que o Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Daher opte por técnicas menos invasivas, como a platismotomia fechada (tratamento do pescoço sem descolamentos da área), adotamos também os procedimentos complementares modernos, como o Laser Spectra. Estes raios têm a propriedade do rejuvenescimento por tratamento não cirúrgico, retiram e clareiam manchas e retiram tatuagens, um dos maiores problemas enfrentados pela cirurgia plástica.

“Dentre os procedimentos menos invasivos estão os preenchedores provisórios (absorvíveis) e permanentes, que permitem acabar com todas as depressões e aumentar os volumes da face. Por exemplo, melhorar os sulcos em volta da boca, o popularmente chamado bigode chinês, aquelas linhas de expressão verticais nas laterais, que vão do nariz até a boca. Além disto, a recuperação dos volumes das maçãs do rosto ou outras áreas da face é feita em consultório, traz resultados praticamente instantâneos e não exige o pós-operatório.

“O Congresso foi muito interessante ao integrar palestrantes com diversas tendências, reunindo informações sobre o que podemos oferecer de mais seguro e eficaz aos nossos pacientes”, conclui o Dr. Daher.

Saiba mais sobre o Dr. José Carlos Daher

O início da carreira foi na década de 70, quando se formou pela então Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em seguida, especializou-se em Cirurgia Plástica com o professor Dr. Ivo Pitanguy.

Tornou-se uma das referências da Cirurgia Plástica e é considerado pioneiro, nesta área, em Brasília. É autor de várias técnicas originais publicadas no país e no exterior. É membro de diversas sociedades nacionais e internacionais de Cirurgia Plástica e Mastologia, tendo sido um dos pioneiros mundiais nas técnicas modernas de reconstruções mamárias, pós-tratamento de câncer de mama.

Saiba mais sobre o Hospital Daher

O Hospital Daher Lago Sul é referência no Distrito Federal. A unidade funciona há mais de 20 anos em área nobre do DF, onde o paciente encontra toda a comodidade de que precisa. Em um mesmo lugar, centraliza atendimentos em diversas especialidades, pronto-socorro, unidade de terapia intensiva, centro cirúrgico, laboratórios, bem como procedimentos modernos e eficazes voltados para o diagnóstico, acompanhamento e tratamento das doenças. Por promover um serviço humanizado, acolhedor e seguro e, consequentemente, a saúde e o bem-estar das pessoas, o Hospital Daher agora é visto como um Centro de Hospitalidade.

Vício em cirurgias plásticas pode indicar um sério transtorno psicológico

Saiba mais sobre o problema

Com um rosto angelical e cabelos loiros, curtos e despenteados, a talentosa atriz Meg Ryan, que atuou em filmes como “Cidade dos anjos” e “Mensagem para você”, encantou milhares de fãs pelo mundo com seu talento e beleza estonteante. Mas durante a entrega de prêmios Tony Awards, maior honraria concedida ao teatro, o rosto da atriz chamou mais a atenção do que os próprios ganhadores. Tudo por conta de uma série de cirurgias plásticas que fez nos últimos anos, tornando as feições da atriz, de 54 anos, extremamente exageradas, com um rosto repuxado, lábios bem carnudos e bochechas salientes, com aspecto artificial.

Nas redes sociais, muitos internautas não perdoaram e chegaram a compará-la ao curinga, inimigo do super-herói Batman.

Outras personalidades também surpreenderam recentemente pelo mesmo motivo. A atriz Renée Zellweger, eternizada no papel da jornalista Bridget Jones, demorou a ser reconhecida durante um evento realizado em 2014 por conta do excesso de procedimentos estéticos que fez no rosto. A cantora brasileira Anitta, de apenas 23 anos, também vem exagerando e há alguns meses abusou do preenchimento labial.

Os casos de excessos cometidos por várias celebridades, assim como pelos não famosos, podem indicar um transtorno sério, chamado de dismorfia corporal, que ocorre quando a pessoa tem uma imagem distorcida de si mesma e, sobretudo, nunca se satisfaz com os tratamentos estéticos, por melhores que sejam os resultados. Ela pode recorrer a inúmeras plásticas e, mesmo assim, continuar achando que precisa melhorar algo no corpo.

De acordo com o cirurgião plástico e fundador do Hospital Daher, Dr. José Carlos Daher, o problema pode trazer o oposto do resultado que o paciente realmente deseja. “Ao invés de ganhar um rosto ou corpo mais belos e harmônicos, ele pode obter uma aparência artificial e piorada. Além disso, ele pode ter sua saúde afetada, uma vez que cada procedimento traz um risco cirúrgico”, alerta.

Para que o paciente não corra o risco de exagerar e se sinta mais seguro durante a intervenção estética, é recomendado que ele procure sempre um especialista credenciado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), pois somente eles estão preparados para fazer uma operação com menores riscos e orientar o paciente quando acharem que o procedimento não trará benefícios estéticos. Eles também estão aptos a alertar sobre uma possível dismorfia corporal e indicar um tratamento psicológico a esse paciente, a fim de protegê-lo de danos que podem ser irreversíveis.

De acordo com o Dr. Daher, é imprescindível que o interessado em uma cirurgia plástica escute atentamente o médico e siga suas orientações. “O especialista tem um conhecimento aprofundado sobre proporção e harmonia corporal e sabe quando um procedimento solicitado tem grandes chances de dar errado. Quando o profissional é sério, ele pode inclusive se negar a executar um procedimento onde a relação custo-benefício seja desfavorável e possa causar tristeza, arrependimento ou mesmo resultados artificiais e desgraciosos no seu paciente”, diz o Dr. Daher.

Modeladores que prometem afinar e empinar o nariz não têm qualquer eficácia

O cirurgião plástico José Carlos Daher desmistifica esses produtos, que são muito comercializados na internet

Ter um nariz empinado e harmonioso ainda é preferência nacional. De acordo com os dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, do total de procedimentos realizados no Brasil em 2015, a rinoplastia ocupou a quinta posição do ranking dos procedimentos estéticos mais procurados.

Aproveitando a alta demanda de pessoas insatisfeitas, vendedores de sites de compras na internet estão se aproveitando para vender modeladores, que custam entre R$100 e R$400, e prometem afinar e arrebitar o nariz entre três e quatro semanas de uso.

De acordo com os fabricantes, os adereços são uma alternativa natural e barata à rinoplastia, que pode custar entre R$ 5.000 e R$ 15.000, dependendo do grau de complexidade da operação, renome do médico responsável, custos do hospital e medicamentos necessários.

Os inventores alegam que, como grande parte do nariz é composta de cartilagem, o órgão pode ser moldado gradualmente para a forma desejada, desde que seja aplicada a pressão adequada. Por meio de abas de silicone, alguns tipos de modeladores fariam a pressão ideal na cartilagem e no desenho do nariz, de modo que ele ficaria distribuído de maneira uniforme para ser moldado, o deixando mais fino e arrebitado na ponta. Outros, que funcionam à base de pilhas, se utilizariam de vibrações para fazer a modelagem. Os fabricantes garantem que os produtos não deixam quaisquer sequelas tanto para o nariz, quanto para a saúde.

Mas será que usando apenas esses moldes é possível obter o nariz dos sonhos?

De acordo com o cirurgião plástico e fundador do Hospital Daher Lago Sul, Dr. José Carlos Daher, isso é praticamente impossível. “Esses produtos são um absurdo! A cirurgia plástica busca de todas as maneiras simplificar os processos e obter bons resultados. Todos os procedimentos realizados por ações externas, para tirar a força da cartilagem, fracassam. Isto porque ela tem uma memória própria e volta sempre à forma original.”

Ele explica ainda qual seria a única maneira de conseguir o resultado desejado por meio de forças externas. “Imagino que ações deste tipo só poderiam ter eficácia se aplicadas por anos a fio, desde a infância, por todo um período da vida, onde os tecidos seriam fisicamente contidos, para não se expandir. Da mesma forma como é feito em certas castas chinesas, onde ter os pés pequenos é bonito e elegante. Estas moças precisam usar fôrmas rígidas nos pés, anos a fio, desde crianças, para que eles fiquem atrofiados. Mas é impossível aplicar o mesmo princípio ao nariz, porque ele precisa se expandir e se desenvolver para que o indivíduo possa respirar normalmente. Por esse motivo, essa tática seria absurda”, explica.

Além disso, o nariz também é composto de ossos, na porção superior. Muitas vezes, durante uma rinoplastia, o órgão do paciente precisa ser aberto, para receber pequenas incisões, que vão sustentá-lo, ao erguer a pele do osso e a cartilagem. Outras vezes, também é necessário acrescentar ou remover ossos, cartilagem ou tecido para obter o resultado desejado.

Alguns sites da internet contam com depoimentos de usuários que ficaram insatisfeitos com os modeladores. Um deles é o “Pitacos da Jú”, onde a blogueira relata como o nariz ficou após usar um desses produtos por 4 semanas. “Parei de usar o modelador Nose Up e não vou voltar a usar, pelos seguintes motivos: usei por 4 semanas e não vi nenhum resultado; não há nenhum teste científico que comprove a eficácia; o resultado (se existir) não é permanente, ou seja, se você parar de usar, ele volta ao normal; na embalagem do produto, as instruções são mínimas. É dito basicamente que é necessário usá-lo 15 minutos por dia para o nariz afinar entre 3 e 4 semanas. Eles não dizem se o efeito é permanente e não dão quaisquer garantias”, relatou a blogueira.

Saiu na mídia: Cirurgias plásticas não visam apenas fins estéticos

clipping-daher-3

Dr. José Carlos Daher, cirurgião plástico
Conheça os procedimentos de reparação, que corrigem desde mordida até queimaduras
Diferentemente do que muitas pessoas pensam, a cirurgia plástica não tem como objetivo único proporcionar beleza e harmonia. Casos como acidentes de carro, queimaduras, unha encravada, verrugas e tumores, por exemplo, também são atendidos por cirurgiões plásticos, por meio das cirurgias de reparação. Elas têm como objetivo recuperar a funcionalidade da área afetada, buscando também a integridade do contorno corporal.
Exemplo disso é a fratura da mão. Muitas vezes o trauma ocasiona a perda da função, como a dificuldade para mexê-la normalmente. É aí que entra o setor da cirurgia reparadora, que vai buscar corrigir o problema, além de melhorar a estética do membro.
Trauma
Nos acidentes que comprometem a face, pode existir a perda de substâncias no local, além de cicatrizes e ossos quebrados. Tanto as fraturas no rosto como o revestimento da área afetada são competências da cirurgia plástica.
Durante o procedimento o cirurgião repara, em primeiro lugar, as partes moles, como músculos, gorduras, tendões e nervos, que precisam ser corrigidas nas primeiras seis horas, período em que há uma possibilidade maior de fixação. Após 12 dias, o especialista inicia a cirurgia reparadora, que pode ocorrer nos ossos, nariz, malares, mandíbulas e assoalho da órbita do olho.
O objetivo final é tentar recuperar todas as funções perdidas e também os contornos faciais originais, de antes do acidente.
Queimaduras
 
Estimativa da Sociedade Brasileira de Queimaduras aponta que pelo menos um milhão de acidentes desse tipo acontecem, por ano, no Brasil, sendo 300 mil envolvendo crianças. As queimaduras podem ocorrer por meio do fogo, energia elétrica, frio ou até radiação.
Segundo o cirurgião plástico e fundador do Hospital Daher, José Carlos Daher, a cirurgia plástica de reparação pode ajudar muito nesses casos, devolvendo a funcionalidade do local atingido, mas ela dificilmente poderá retirar as marcas. “O cirurgião pode tirar uma pequena cicatriz, mas, quando há uma grande extensão, não é possível trocar essa pele, infelizmente. A única coisa que o cirurgião pode fazer é liberar as retrações, para que o paciente possa fazer uso normal de suas articulações”, explica.
Um exemplo de como a cirurgia pode ajudar nesses casos é quando ocorre uma queimadura no pescoço, que junta o queixo ao tórax, impedindo as vítimas de levantarem a cabeça. Outro exemplo é quando as mulheres sofrem queimaduras na infância, na região do peito. Quando elas começam a crescer, a mama fica encarcerada e não se forma. Nesses casos, a cirurgia vai permitir que as funções voltem minimamente ao normal, desencarcerando a mama contida para que ela retome o seu crescimento normal.
O Dr. Daher diz que as pessoas precisam se conscientizar sobre os perigos que elas correm ao se expor a uma queimadura, como os acidentes que envolvem garrafas de álcool, que são muito comuns. “Atendi muitas pessoas que tinham se queimado gravemente ao borrifarem álcool dentro de churrasqueiras. O grande perigo é que a fagulha de fogo pode saltar e explodir o plástico, que pode se derreter sobre a pele da vítima, agravando ainda mais o problema”, adverte.
Mordidas
Quando um cão ataca alguém, instintivamente ele avança na cabeça da vítima. Com isso, costumam ser comuns nesses ataques dilaceramentos de nariz, orelha e pálpebras. A cirurgia de reparação, nesses casos, buscará recompor a parte corporal perdida, muitas vezes por meio de enxertos, juntamente à recuperação da funcionalidade.
Câncer de mama
A cirurgia de reparação dos seios, que pode ser feita no mesmo ato cirúrgico de retirada da mama, quando existirem condições técnicas e clínicas, também é um exemplo de cirurgia de reparação. Para o Dr. Daher, ela é de grande importância à autoestima das mulheres. “Segundo o psicanalista Freud, o homem possui sua identidade sexual no pênis. Já a mulher, nos seios e não na vagina, por isso a recuperação da mama deformada é fundamental para a recuperação da autoestima dessas mulheres, que já precisaram passar por um momento tão difícil, que é o tratamento do câncer. Muitas vezes, a mama fica até mais bonita do que era anteriormente”, explica.
 
Doenças
 
Patologias como a leishmaniose costumam mutilar pedaços do rosto, como o nariz, e a cirurgia de reparação costuma ser imprescindível nesses casos. “Todo mundo tem uma visão de si próprio e quer ser normal. Quando acontece alguma coisa que muda a relação do paciente com a ideia que ele tem de si próprio, pode haver um choque psicológico difícil de ser administrado, por isso as cirurgias de reparação são fundamentais, tanto para a funcionalidade normal do corpo, quanto pela autoestima desse paciente”, finaliza.

Mulheres buscam cirurgia plástica para reduzir o tamanho das bochechas Bichectomia ainda é pouco conhecida no Brasil

As brasileiras, famosas mundialmente pela beleza ímpar e corpos esculturais, buscam cada vez mais a perfeição da silhueta através de lipoaspirações ou implantes de silicone. Mas uma novidade no mundo da cirurgia plástica tem atraído o interesse de muitas mulheres que querem parecer mais magras e perder o formato infantil da face: diminuir o tamanho das bochechas.

A cirurgia é a bichectomia, que diminui o volume do rosto através da retirada da bola célulo adiposa de Bichat, um acúmulo de gordura na região que dá um aspecto arredondado à face. O procedimento é feito por meio de pequenas incisões dentro ou fora de cada lado da boca, sem deixar cicatrizes perceptíveis. A anestesia é local, com ou sem sedação, e dura em torno de 40 minutos.

Atrizes como Angelina Jolie e Reneé Zellweger já aderiram à novidade, e os resultados obtidos atraem cada vez mais mulheres que querem ficar parecidas com as divas. O cirurgião plástico e fundador do Hospital DAHER, José Carlos Daher, afirma que o procedimento traz grandes resultados e que a grande procura pela técnica é recente. “A bichectomia foi criada nos anos 80, mas o boom pela procura aconteceu nos últimos 5 anos”, explica. O médico também conta que, muitas vezes, o paciente aproveita uma lipoaspiração corporal para usar a gordura retirada na remodelação do rosto e aliar à retirada da bichat.“Trabalhamos com silicones sólidos ou com o material recolhido durante a lipoescultura para utilizar como implante, onde redesenho os volumes, aumentando certas áreas e diminuindo outras, para trazer mais harmonia à face, deixando as mulheres ainda mais belas”, explica.

Apesar de parecer simples, muitos médicos não têm familiaridade com a anatomia da região interna da boca e muitas vezes acabam lesionando nervos do paciente e até causando uma paralisia facial. Por isso, Daher dá um alerta para quem quer fazer a cirurgia: “Procurem por cirurgiões especializados e aptos a fazerem esse tipo de cirurgia. Nenhuma das técnicas citadas pode ser feita sem um bom profissional, pois são procedimentos arriscados para quem não as domina”, alerta.

A recuperação pós-cirúrgica é rápida e parecida com a retirada do dente siso,ou menos que isto. Nesse período, o paciente deve optar por alimentos macios e gelados nas primeiras 48 horas. Ele também poderá se expor ao sol, de forma moderada, logo após a cirurgia, e após o trigésimo dia, sem qualquer restrição.

Na mídia: Dr. Daher participa de congresso em Jurerê

Durante a primeira semana de fevereiro, o cirurgião plástico José Carlos Daher participa do congresso de cirurgia plástica American-Brazilian Aesthetic Meeting (ABAM), que acontece em Florianópolis, na Praia de Jurerê Internacional. O ABAM propicia um intercâmbio de conhecimento cientifico e possibilita aos cirurgiões plásticos de todo o mundo a oportunidade de apresentarem os trabalhos relevantes sobre técnicas inovadoras e de importância científica.

No evento, que reúne os grandes nomes da cirurgia plástica brasileira e estadunidense, Daher será moderador de um painel sobre técnicas modernas de rejuvenescimento facial com procedimentos mais eficientes e menos invasivos, técnicas nas quais é pioneiro tendo várias publicações em revistas científicas internacionais.

Este será o primeiro encontro de cirurgia plástica dos calendários brasileiro e americano em 2012. Durante a conferência serão abordarão vários temas como aumento de mama, contorno corporal, cirurgia vídeo-endoscópica, medicina estética, cirurgia palpebral, entre outros.